ASPECTOS GEOGRÁFICOS

A área do município de Barra do Jacaré é de 116 quilômetros quadrados, representando 0.058% do Estado, 0.0205% da região e 0.0014% de todo o território brasileiro. Pertence à microrregião Norte Pioneiro Paranaense, com altitude de 560 metros acima do nível do mar.

 

O seu clima é subtropical úmido mesotérmico, apresentando no verão temperatura média superior a 22º centígrados e no inverno temperatura média inferior a 18º centígrados, com geadas poucos freqüentes e sem estação seca definida.

TABELA 1 - Distâncias e rodovias de acesso

Destino

Distância

Rodovia de acesso

Capital

398 quilômetros

PR-153

Porto de Paranaguá

489 quilômetros

PR-153

Aeroporto mais próximo – Londrina

132 quilômetros

BR-369

 

Fonte: IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) - 2000.

Limita-se com os seguintes municípios: ao Norte com Cambará e Andirá, ao Sul com Santo Antonio da Platina, a Leste com Jacarezinho e a Oeste com Bandeirantes.


ASPECTOS POPULACIONAIS

Na década de 1970, o município contava com uma arrecadação pouco expressiva no comércio. Sua população concentrava-se quase que totalmente na área rural e nesta época os proprietários rurais tinham pouco acesso a implementos agrícolas, dependendo de trabalhos braçais para plantar para o qual contratavam famílias para trabalhar de meeiros. Com o crescimento dos centros urbanos, as famílias conhecidas como meeiros se deslocavam para trabalhar nos municípios que possuíam indústrias, provocando o êxodo rural.

Em 1975 ocorreu uma geada que ficou conhecida como a geada negra, que trouxe muitas perdas para a agricultura, agravando ainda mais a saída do homem do campo. Além disso, na década de 1980, os proprietários rurais optaram por mecanizar o trabalho rural. 

TABELA 2 - População residente de Barra do Jacaré, 1970 - 2000

Ano

Urbana

Rural

Total

1970

   882

5.784

6.666

1980

1.040

2.948

3.988

1990

1.255

1.582

2.837

1996

1.569

1.392

2.961

2000

1.691

1.032

2.723

 

Fonte: IBGE - 2000.

Ainda hoje não existe uma política de geração de emprego definida e com isso os filhos das famílias que permanecem no município, acabam se dirigindo para centros maiores em busca de novas perspectivas de trabalho.

No entanto, pela estimativa do censo demográfico do IBGE, há uma leve tendência de crescimento da população residente no município de Barra do Jacaré, conforme se verifica no gráfico 1. 

 

GRÁFICO 1 - Estimativa da população de Barra do Jacaré, 2001 - 2006


ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS

Agropecuária

No município de Barra do Jacaré estão devidamente registradas 693 propriedades rurais com predominância dos minifúndios ou pequenos proprietários. A soja, o trigo, o algodão, o milho e a alfafa são os produtos cultivados nestas propriedades. 

TABELA 3 - Lavouras temporárias - área colhida em toneladas, 1995 - 2002

Cultura

1995

1996

1997

1998

1999

2000

2001

2002

Algodão

38

230

100

200

--

18

20

50

Arroz

300

110

250

250

250

185

180

180

Cana de Açúcar

1.100

1.000

1.000

1.600

1.600

650

650

700

Feijão

270

320

194

180

370

80

50

100

Milho

2.500

3.600

4.075

3.100

3.100

1.500

3.300

2.200

Soja

3.020

6.820

7.520

9.430

10.029

10.000

8.700

8.800

Trigo

1.500

1.500

2.000

6.500

6.800

4.000

4.900

5.600

Fonte: IBGE - Produção Agrícola Municipal - 2002.

 TABELA 4 - Lavouras permanentes - área colhida, 1995 - 2002

Cultura

1995

1996

1997

1998

1999

2000

2001

2002

Banana

(cachos)

03

03

03

03

24

30

30

30

Café

(toneladas)

35

05

10

15

17

28

31

31

Fonte: IBGE - Produção Agrícola Municipal - 2002.

 

A pecuária é desenvolvida em pequena escala, de acordo com as dimensões das propriedades rurais e localidades. O rebanho bovino e suíno é predominante no município. A partir do ano 2000, a avicultura tem sido o grande destaque do município, gerando emprego e aumentando consideravelmente a renda do município, que contava, no ano de 2005, com 29 aviários produzindo em torno de 5.000.000 aves por ano, em parceria com a Seara Alimentos, diversificando desta forma as atividades nas propriedades rurais. 

TABELA 5 - Pecuária - efetivo de rebanhos (cabeças), 2000 – 2002

Rebanhos

2000

2001

2002

Bovinos

2.150

2.253

2.988

Caprinos

--

--

20

Eqüinos

250

280

300

Galinhas

5.500

6.000

5.500

Galos, Frangas, Frangos e Pintos

35.000

35.000

33.000

Muar

85

70

80

Ovinos

50

30

20

Suínos

2.650

3.308

5.120

 

Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal - 2002.

 

Indústria

O município conta somente com quatro indústrias, o que representa 2% das atividades econômicas:

 • Empresa Móveis Secco (Indústria e Comércio), situada na Rodovia Estadual PR – 092 Dr. Alicio Dias dos Reis, na altura do Km 360, possui uma área de 10.000 metros quadrados. A empresa foi fundada em 1995, com uma produção de aproximadamente 300 jogos de mesa ao mês, atendendo toda a região do norte do Paraná, sul de São Paulo e o litoral paranaense. A empresa emprega 23 funcionários.  

• Fábrica de Bambu Ana Clara que conta com, aproximadamente, oito funcionários realizando trabalhos com artefatos de bambu.

• Fábrica Espectos Nequinha que em parceria com a ADIPAR (Associação de Desenvolvimento Industrial Informal do Paraná), conta com aproximadamente 12 funcionários realizando trabalhos com artefatos de bambu.

• Indústria e Comércio de Cadeiras e Móveis Tubulares, instalada em janeiro de 2005, na Rodovia Estadual PR -092, Dr. Alicio Dias dos Reis, PR-092, na altura Km 360, trabalha com artefatos tubulares. 

 

Comércio e Serviços

O comércio é essencialmente varejista, provendo a população dos produtos necessários à sua subsistência. Estão registrados 26 estabelecimentos, além de outros 12, voltados à prestação de serviços.

Para o armazenamento de cereais, o município conta com a Cooperativa Integrada.

Na área financeira há uma agência do Banco Cooperativo Sicredi Sociedade Anônima e entrepostos da Caixa Econômica Federal e do Banco Bradesco.

 

 GRÁFICO 2 - Atividades econômicas do município 


 

ASPECTOS CULTURAIS

Os principais eventos que ocorrem anualmente no município são:

• Festa da Colheita, implantada pelo Padre Benedito Vieira Neto em 1995. A primeira festa teve início com a abertura de um passeio ciclista até a ponte do Rio Jacaré. A festa ocorre no mês de abril no Salão Paroquial.

• Festa do Coqueiralzinho, onde se comemora, no dia 13 de junho, o dia de Santo Antônio, no Salão da Igreja Católica.

• Festa Junina da Escola Municipal Pio XII, implantada com o intuito de arrecadar fundos para a própria instituição. A festa ocorre no mês de junho e acontece na escola e no Salão Paroquial.

• Festa do Peão, implantada em 1985 por um grupo da igreja católica onde o lucro seria revertido para a construção da Igreja. Após a sua construção, a festa passou a ser de responsabilidade do poder público municipal e seu lucro revertido para a área social municipal. A festa ocorre entre os meses de agosto a setembro no Estádio Valdomiro de Rezende

• Festa da Capela Santo Antônio ocorre no mês de setembro no Salão da Igreja Católica do Bairro Coqueiralzinho.

• Festa de Nossa Senhora Aparecida (padroeira do município) realizada desde 1985, no dia 12 de outubro, quando a paróquia era Capela São Pedro. A Paróquia Nossa Senhora Aparecida teve início com o Padre Osnir Aparecido Gasola, em 1994.  

• Grupo Os 100 Limites: implantado em 2005 por um grupo de jovens. São 22 integrantes que procuram estimular a juventude a realizar trabalhos voluntários durante o ano. 

As áreas de lazer existentes no município são o Fundo de Vale, a Área de Lazer Pereiras Clube, o Morro do Cruzeiro, Bica D’água, Estádios Municipais Valdomiro de Rezende, Campo Bairro Água Branca, Ginásio de Esporte Acácio Cardoso de Oliveira.   


ASPECTOS EDUCACIONAIS

Através da Lei nº. 4.778, de 05 de dezembro de 1964, foi criado o Ginásio Estadual de Barra do Jacaré com início de funcionamento em 1968, através do Decreto nº. 8.941 assinado pelo governador Paulo Pimentel, contando com 92 alunos inscritos. 

Pela Portaria nº. 2.112/68 foram designados Maritália Fioravante D’Ercole, como Diretora e Nadyr Benedita Lopes, como Secretária. O primeiro quadro de Professores foi composto por José Galeriano Filho, Augustinho Mendes, Antônio Silva de Paula, Marlene Biancardi, Rosina Elias e a primeira servente foi Lazara Cunha Branco. 

O Grupo Escolar Pio XII foi construído na gestão de Antônio dos Santos Netto, (1965 a 1968) e em 1960 foi aprovado através do Decreto nº. 34.328 como Grupo Escolar de Barra do Jacaré, tendo como primeiro professor, Anael Martins da Silva. Anos depois passou a denominar-se Escola Municipal Pio XII.

Antônio dos Santos Netto também inaugurou, no Bairro Coqueralzinho, em 1985, a Escola Estadual Tiradentes.

A partir de 1996 algumas escolas localizadas na zona rural do município tiveram suas atividades cessadas pela inviabilidade da manutenção das mesmas devido à diminuição da clientela. Os alunos destas escolas foram transferidos para outras escolas de maior porte e para tanto o poder público municipal disponibilizou o transporte escolar, garantindo o acesso e a permanência destes alunos no processo educacional.

Na tabela a seguir estão listadas as escolas e os respectivos anos em que foram cessadas as suas atividades.

TABELA 6 - Escolas cessadas no município, 1996/2003

Denominação do Estabelecimento

Ano

Escola Rural Fazenda da Aurora

1996

Escola Rural Água do Barreirão

1996

Escola Rural Municipal Rosa Flor

2000

Escola Rural Municipal São Marcos

2000

Escola Rural Municipal Terra Nova

2000

Escola Rural Municipal Água do Ligeiro

2000

Escola Rural Comandante Junqueira

2001

Escola Rural José Soares da Cunha

2003

 

Fonte: Departamento Municipal de Educação – 2006.